Violência contra a Mulher – Uma Luta Diária

Queridos Leitores,

Infelizmente nesta última quarta feira (10/09) uma colega nossa do curso de psicologia morreu. O motivo quase que inacreditável para todos nós: seu ex-namorado deu dois tiros na cabeça dela. Nós achávamos que essas coisas só passavam na TV, nunca imaginamos que algo deste tipo poderia acontecer com alguém tão próximo de nós, e por isso para a nossa Querida Amiga nunca ser esquecida devemos lembrar que a violência contra a mulher deve ser batalhada todos os dias.

Eles namoraram durante dois anos, ele era 10 anos mais velho que ela e começou a demonstrar sinais de possessividade, então ela decidiu terminar. Depois do término ele ia atrás dela, falava que estava com depressão , até que um dia quando ela estava indo pra faculdade ele a fez entrar no carro. Na tentativa de fugir, ela pulou do carro em movimento, ele saiu do carro e deu dois tiros na cabeça dela.

Eu a conhecia, cumprimentava ela de longe, ela ia participar de um trabalho voluntário comigo e adorava tirar fotos. Como é que pode? Isso vai além da possessividade, do ciúmes e de qualquer egoísmo do mundo, isso vai muito além e nossa indignação também.

“Existe apenas um pecado, um só. E esse pecado é roubar. Qualquer outro é simplesmente a variação do roubo. Quando você mata um homem, está roubando uma vida, está roubando da esposa o direito de ter um marido, roubando dos filhos o direito de ter um pai. (…)” – O Caçador de Pipas

Hoje em dia milhares de mulheres sofrem violência, e assim como muitas leis no Brasil a Lei Maria da Penha (nº 11.340) não é levada a sério. Por isso penso que poderia ser qualquer uma de nós, nunca pensamos que esse homem teria a capacidade de fazer isso. Por experiência própria percebo que quando terminamos um relacionamento os homens mudam, meio que mexe com o ego deles: “Como assim você não me quer mais?”

A mídia não deve incentivar a violência contra a mulher!

Lembro que uma semana antes do ocorrido, vi um videoclipe do David Guetta de uma música chamada “Bang Bang” onde na letra e no clipe expressa claramente o homem atirando em uma mulher. Lembrei dessa música quando soube do ocorrido e tenho raiva só de ouvir na rua:

” He shot me down Bang Bang / Ele me atirou Bang Bang

I hit the ground Bang Bang / Eu caí no chão Bang Bang”

 Juro AMO a Lana del Rey, mas tem hora que ela força também. No seu novo CD Ultraviolence há músicas em que o conteúdo tem a violência contra mulher:

” He hit me and it felt like a kiss / Ele me bateu e senti como se fosse um beijo”

 Infelizmente tem que acontecer algo assim, para percebemos que esses atos são realmente graves e imperdoáveis, para levarmos a sério todos os dias. Por isso por meio desse post peço que a violência contra a mulher não seja esquecida e sim batalhada todos os dias. Peço que lembramos da nossa querida amiga Jéssica que foi vítima de violência e que possamos ser corajosos e tentar precaver casos assim.

LUTO

Isabela Snorkle

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s